Wednesday, 12 March 2014

E para o ano há mais!



Li há uns dias numa revista feminina um artigo sobre mitos ligados às férias. O que mais cativou a minha atenção foi o de acharmos que vamos de férias recarregar baterias. Será mesmo um mito? Pus-me a pensar no assunto e… acabei por concordar!
Ora, aguardamos as férias sempre como uma criança espera a chegada do Pai Natal, mas o presente pode sair envenenado. Está claro que as férias nos dão tempo, melhor… tempo livre! As férias são para fugir à rotina, fazer aquilo de que mais gostamos ou conhecer novos lugares e culturas, são simplesmente para descansar ou dançar, cantar e até fazer uma boa dose de loucuras. É inegável toda a cor e prazer que as férias nos dão! Enquanto duram…
Na verdade, nos últimos minutos das nossas férias ficamos com um travo amargo na língua enquanto desfazemos as malas. O conhecido trauma de fim de férias (ou preparação do regresso ao trabalho). Aí, começamos a rever nas nossas cabeças o filme idílico dos últimos dias e deixámo-nos invadir pelo saudosismo e nostalgia. Como quando o verão chega ao fim e pensamos “E para o ano há mais!”. E sai o profundo suspiro! É ou não é?
Juntamente com esse suspiro, quantas vezes não vem também o desejo de largar tudo e abrir um bar na praia ou perder a cabeça e viver a fazer voluntariado, meditar na Índia ou mesmo dar a volta ao mundo à boleia? Tudo nos passa pela cabeça nesses últimos segundos que restas das férias. Tudo… menos regressar ao trabalho no dia seguinte.
É aí que ouvimos o estalido dentro da nossa cabeça, é aí que nos apercebemos que, apesar de inesquecíveis e maravilhosas, as férias não nos recarregaram baterias de verdade, mas antes recordaram-nos o quão cinzento o nosso dia a dia consegue por vezes ser. E não queremos voltar. Ai! Os primeiros dias de pós-férias são tão duros… Era suposto voltarmos mais motivados que nunca e cheios de garra! Mas não. Entramos numa marcha fúnebre… “Que tal foram as férias?” ao que respondemos “Passaram rápido demais!”. Na verdade eles parecem mais felizes que nós. Não deveria ser ao contrário?
Contudo, por vezes sabe melhor acreditar no mito, o Pai Natal continua a existir e as férias recarregam baterias! Sim! Recarregam baterias! Até porque, mesmo que custe horrores voltar ao trabalho, ficam guardadas com carinho as deliciosas recordações que serão para sempre nossas e darão cor aos nossos dias cinzentos sempre que pensarmos nelas. Até porque… não é por custar voltar que deixaremos de ir de férias! Um grande VIVA às FÉRIAS!!!

Thursday, 6 March 2014

Chegou!

Chegou ontem às minhas mãos o primeiro exemplar do meu novo livro “Perto de Ti, Longe de Nada”. A doce materialização de mais um sonho concretizado.
Não é fácil descrever a sensação de, depois de meses de trabalho e dedicação, por fim sentir, passar a mão sobre a capa do meu livro e dizer-lhe “Olá”, cheirá-lo (sim!), folheá-lo… e o mais ridículo… lê-lo como se fosse a primeira vez! Como se não tivesse sido eu a escrevê-lo.
É um momento especial, tão especial como o seu lançamento. Mas diferente... Neste momento sinto-me possessiva! Quero-o só para mim, lambê-lo e mimá-lo como se fosse uma cria! A minha cria.
E mesmo tendo já encontrado pormenores que necessitam ser aperfeiçoados antes de definitivo, ele continua lindo, perfeito para mim!  

Mas não se preocupem! Brevemente será partilhado convosco, estará nas vossas mãos, poderão tocar (cheirá-lo, também) e mergulhar nestas páginas que agora só eu folheio! A história deixará de se repetir apenas na minha cabeça ou encontrar-se desmaiada nas páginas deste livro, passando a estar viva através de cada um de vocês, os meus leitores. Será breve… brevemente! Curiosos? J